Informações legais    -    Mapa do site    -    Copyright © 2019 Cost House

DIREÇÃO DE TI

O desempenho econômico está no centro dos desafios digitais que transformam profundamente as empresas e seus modelos de negócios. Um modelo de custos baseado em um sistema de referência da profissão, como o do CIGREF, é a base para uma gestão econômica de TI pertinente e permite a criação de um painel de referência para a Diretoria de TI.

 

Além do gerenciamento de custos, uma análise de referência baseada em um padrão aberto estruturará efetivamente um plano de ação de otimização. Essas ações serão desmembradas, por exemplo, através de projetos de racionalização ou abordagens de Design-To-Cost de TI.

Por fim, as abordagens de simulação econômica permitirão projetar a trajetória econômica de TI ao longo de vários anos, alinhando-a à estratégia global da empresa.

Engenharia de custos
CUSTOS DE TI, ORÇAMENTOS E FATURAS
SEUS OBJETIVOS

Entender, administrar e antever seus custos

  • Medir, compreender e analisar seus custos de TI
     

  • Faturar os custos da Diretoria de TI
     

  • Construir seu orçamento a partir de cenários de negócios
     

  • Dar visibilidade ao seu orçamento, facilitando a compreensão pelo operacional e/ou clientes da Diretoria de TI

NOSSA EXPERIÊNCIA

Uma abordagem industrial e ferramental

  • Uma abordagem industrializada a partir do Custeio ABC (Activity Based Costing) e do “modelo de análise e benchmarking de custos de TI” do CIGREF (Associação de grandes empresas e administrações públicas francesas).
     

  • Feedbacks de mais de cem implementações operacionais.

SEUS RESULTADOS

Um modelo completo e valorizado

  • Modelo de custos / faturamento estruturado e valorizado
     

  • Pontos de otimização
     

  • Catálogo de serviços formalizado e publicado
     

  • Orçamento ABB (Activity Based Budgeting) permitindo a avaliação de cenários de serviços e atividades

 
Planos de competitividade
PROGRAMA DE OTIMIZAÇÃO DE CUSTOS DE TI
SEUS OBJETIVOS

Reduzir os custos garantindo a qualidade e a geração de valor para os clientes

  • Análise global da estrutura de custos da Diretoria de TI com base na visão global relacionada com a organização e depois no desmembramento dos eixos de análise para cada setor relevante
     

  • Link custo-benefício, alinhamento com boas práticas de mercado
     

  • Para cada setor relevante, identificação e qualificação de potenciais de lucro usando ferramentas aplicáveis

NOSSA EXPERIÊNCIA

Uma abordagem no coração da expertise da Consultoria

  • Uma abordagem que permite rever a estrutura de custos da Diretoria de TI de acordo com 25 principais pontos de análise
     

  • Uma consolidação da abordagem através de nossos benchmarks e análises de mercado
     

  • Um envolvimento da equipe operacional e da dos gestores que se tornam atores reais no processo de otimização

SEUS RESULTADOS

Um programa de otimização estruturado, pronto para ser implantado

  • Sequência de ganhos qualificados e valorizados, estruturados em um plano de implantação
     

  • Um acompanhamento operacional e com auxílio de ferramentas deste plano

DESIGN TI TO COST
SEUS OBJETIVOS

Otimizar seus custos de TI consistentemente

  • Implantar abordagens disruptivas com relação aos métodos convencionais, que podem ser insuficientes ou já implantados e exigindo ações adicionais
     

  • Entender a estrutura de custos executando uma decomposição técnica detalhada
     

  • Identificar abordagens de competitividade mais sustentáveis do que simples negociações de preço e margem

NOSSA EXPERIÊNCIA

Uma abordagem no cruzamento da nossa experiência industrial e de TI

  • Compreender a estrutura de custos dos fornecedores: cálculo de custos
     

  • Consultoria de outro formato: o Cálculo de Custos Alvo
     

  • Enxergar mais longe : o design para o custo do ciclo de vida

SEUS RESULTADOS

Ganhos significativos

  • Ganhos auferidos entre 15% e 30% dos escopos de análise
     

  • Modelos operacionais eficientes e adaptados
     

  • Um lançamento otimizado que permite auferir ganhos rapidamente

 
Projeção e gestão estratégica
GESTÃO ESTRATÉGICA « TI BSC »
SEUS OBJETIVOS

Realinhar a organização com seus objetivos

  • Uma compreensão geral dos objetivos
     

  • A Capacidade de desmembrar esta visão em objetivos adaptáveis a todos os níveis da organização
     

  • Estruturação de feedback e governança
     

  • Visibilidade total disponível para a alta gerência e para as equipes operacionais

NOSSA EXPERIÊNCIA

Uma abordagem estruturada para uma implementação coerente e sem burocracia

  • Formalizar explicitamente com a alta gerênciao a missão e os objetivos da organização
     

  • Determinar as principais ações para alcançar os objetivos e os indicadores correspondentes
     

  • Desmembrar objetivos, ações e indicadores nas diferentes partes da organização
     

  • Criar e publicar painéis de indicadores coerentes
     

  • Estabelecer a gestão através de um ciclo de análises de desempenho e de melhoria contínua

SEUS RESULTADOS

Gestão estratégica eficaz

  • Plano de ação formalizado e compartilhado, consistente com os objetivos estratégicos
     

  • Painéis com a granularidade coerente, legível e operacional
     

  • Governança clara e inclusiva

PAINEL DE TI
SEUS OBJETIVOS

Dispor de uma ferramenta de gestão da Diretoria de TI

  • Fornecer à gestão um conjunto de indicadores consistentes
     

  • Integrar todo o escopo da Diretoria de TI na gestão
     

  • Viabilizar esses indicadores ao longo do tempo

NOSSA EXPERIÊNCIA

Uma abordagem pragmática resultante de diversas experiências operacionais

  • Construir um painel de gestão usando um conjunto coerente porém limitado de indicadores
     

  • Estruturação de indicadores de acordo com os principais eixos “cliente”, “finanças”, “processos” e “recursos”
     

  • Utilizar ferramentas simples e eficazes

SEUS RESULTADOS

Uma ferramenta operacional ao serviço da gestão da Diretoria de TI

  • Um painel de indicadores facilmente atualizável que reflete a evolução das atividades de TI

SIMULAÇÕES ECONÔMICAS
SEUS OBJETIVOS

Ter disponível uma ferramenta de simulação econômica

  • Analisar diferentes cenários de projeção orçamentária
     

  • Evitar a tradicional “recondução orçamentária”
     

  • Levar em conta as premissas do negócio para simulações econômicas frequentes

NOSSA EXPERIÊNCIA

Construir uma simulação econômica que capitaliza o modelo de custos

  • Identificar as regras de negócios a serem levadas em conta para as simulações econômicas
     

  • Definir as regras do comportamento das atividades e dos recursos do modelo de custos
     

  • Utilizar ferramentas dedicadas para implementar e analisar os diferentes cenários das simulações

SEUS RESULTADOS

Uma projeção baseada em cenários

  • Os diferentes cenários de simulação permitem orientar as projeções estratégicas de forma eficaz
     

  • Um painel facilmente atualizável cujos indicadores refletem de maneira consistente a evolução da atividade de TI

 
Grupo de Benchmark
GRUPO DE BENCHMARK TI
SEUS OBJETIVOS

Comparar-se com seus pares

  • Dispor de elementos de comparação quantitativos
     

  • Trabalhar em uma malha operacional permitindo trocas entre vários setores de atividade
     

  • Identificar pontos de otimização
     

  • Propor trocas “qualitativas” com base no feedback de atores comparáveis

NOSSA EXPERIÊNCIA

Um grupo de referência ativo desde 2010, com base orçada em mais de 2,5 bilhões de Euros de despesas anuais

SEUS RESULTADOS

Publicação de um anuário

  • Mais de cem indicadores comparados
     

  • Um resumo completo dos workshops e feedbacks

 
CAPACITAÇÃO
CATÁLOGO DE TREINAMENTOS
ELABORAR UM MODELO ECONÔMICO DE TI
  • Analisar a formação dos custos da Diretoria de TI.
     

  • Modelar os processos e atividades através do “modelo de análise e benchmarking de custos de TI” da Cigref.
     

  • Compreender concretamente os mecanismos de avaliação de custos através de uma abordagem de Custeio ABC (Activity Based Costing).
     

  • Propor eixos de análise e benchmark.

GESTÃO DE INVESTIMENTOS EM TI – GESTÃO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS
  • Saber como avaliar e controlar os custos de TI
     

  • Identifique o valor “estático” e “dinâmico” do Sistema de Informação
     

  • Gerir os investimentos em TI através de um portfólio de projetos para possibilitar a qualificação destes projetos de forma homogênea.

INDUSTRIALIZAR O MODO PROJETO
  • Dominar os conceitos e técnicas de gerenciamento de projetos.
     

  • Entender os papéis dos vários atores envolvidos em um projeto e agir nesta organização.
     

  • Adotar práticas reconhecidas como estado da arte na montagem, gestão e controle dos riscos de projeto.

AGILIZAR O GERENCIAMENTO DE PROJETOS
  • Entender os princípios iterativos dos métodos ágeis
     

  • Definir e priorizar um cenário de uso de modo ágil
     

  • Implementar o planejamento de projetos com base em princípios ágeis
     

  • Localizar-se com ferramentas de gerenciamento visual e avanço em um contexto ágil
     

  • Identificar seu lugar e sua função em um projeto ágil

IMPLEMENTAR UMA ABRODAGEM DE DESIGN TO COST DE TI
  • Encontrar um ótimo global entre custo / valor / risco
     

  • Redução de prazos de projeto via integração upstream de todos os atores
     

  • Novo modo de operação com fornecedores focado em compartilhar o entendimento dos direcionadores de custos
     

  • Visão compartilhada dentro da empresa, através do envolvimento em todos os projetos de todos os envolvidos / stakeholders

TREINAMENTOS SOB MEDIDA

Capacitações adaptadas às suas necessidades, para construirmos juntos

  • Análise do contexto, entrevistas com stakeholders
     

  • Projetos de treinamento e capacitação, identificação de ferramentas digitais
     

  • Sessões de teste
     

  • Coaching dos responsáveis pelos treinamentos
     

  • Auxílio à organização

 
AS FERRAMENTAS
Logo_psa_couleur.png

Professional Services Automation

Pilotage activités de services

Logo_abc_couleur .png
Logo_apm_couleur.png

Action Plan Management

Pilotage de plans d'action

Activity Based Costing

Coûts complets produits et services

Activity Based Budgeting

Activity Based Budgeting

Key Performance Indicator

Key Performance Indicator

Balanced Scorecard

Balanced Scorecard

 
ARTIGOS RECENTES
RESPONSÁVEIS DA ÁREA
JOACHIM TREYER
Directeur Général, co-fondateur
MARC VIGNIAL
Associé Cost House France
STEVE GORDON
Associé Cost House France